ACESSIBILIDADE | ALTO CONTRASTE | MAPA DO SITE
TAMANHO DA FONTE: A- | A+

NOTÍCIAS Voltar >


PREVENÇÃO E CONTROLE DE ESCORPIÕES E PROCEDIMENTOS PREVENÇÃO E CONTROLE DE ESCORPIÕES E PROCEDIMENTOS

Publicado em 22/01/2018, Por Comunicação

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde, orienta a população sobre prevenção e controle de escorpiões e procedimentos diante de acidentes provocados pelo animal, em função de, recentemente, escorpiões pretos terem sido identificados em residências na cidade quanto interior . Crianças e adultos vítimas de picadas de escorpião devem ser encaminhadas para atendimento médico ou de emergência. O animal - O escorpião é um artrópode. Com hábitos noturnos, durante o dia, esconde-se sob as cascas de árvores, pedras e dentro de domicílios, principalmente em sapatos. Mede de 5 a 7 cm de comprimento. Das 1.600 espécies conhecidas, 25 podem causar acidentes mortais. Dessas, três ocorrem no Brasil. No Rio Grande do Sul, é encontrado, principalmente, o escorpião preto (Bothriurus bonariensis). Seu veneno é pouco tóxico e, quando pica, pode causar dor local ou reações alérgicas. Todos os escorpiões são terrestres. Podem ser encontrados em ambientes diversos e situações adversas. São carnívoros e alimentam-se principalmente de insetos e aranhas, com preferência por baratas. Dentro das casas, a atenção, em especial, deve ser na saída de esgoto, ralos e caixa de gordura, pois os escorpiões procuram locais escuros. Por isso, a importância de se combater o aparecimento desses insetos, que se tornam atrativos para os escorpiões. Os principais predadores são camundongos, macacos, quatis, sapos, lagartos, corujas, galinhas, algumas aranhas, formigas, lacraias, além dos próprios escorpiões. Um escorpião vive, em média, quatro nos. Ao longo da sua vida, poderá gerar até 168 filhotes. Recomendações em caso de acidentes: - Lavar o local da picada com água e sabão e encaminhar a vítima para o serviço médico mais próximo (preferencialmente levando o animal que causou o acidente, para identificação de suas características). - Nos acidentes considerados leves, a pessoa apresenta inchaço, vermelhidão, calor e pelos eriçados no local da picada. Nos casos moderados, somam-se sintomas como vômitos, náuseas, hipertensão e taquicardia. Os acidentes graves podem provocar vômitos intensos e frequentes, muita sudorese, agitação, aumento ou diminuição da frequência cardíaca, arritmias, contrações musculares, edema e choque. - É indicado uso de soro antiescorpiônico para tratar os acidentes. - Não é aconselhável usar veneno para combater os escorpiões, porque o desalojamento temporário pode favorecer a dispersão dos focos e o aumento da população do animal. - De hábitos noturnos, os escorpiões costumam se esconder durante o dia sob cascas de árvores, pedras, tijolos, troncos podres, madeiras empilhadas, fendas, muros e porões, além de locais onde se acumula o lixo doméstico. São mais ativos durante os meses quentes do ano, mas em épocas de muita chuva podem sair em busca de abrigo em áreas secas e residências. Evite acidentes: - Verifique cuidadosamente calçados, roupas, toalha e roupas de cama antes de usá-los. - Limpe periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura. - Mantenha camas e berços afastados, no mínimo, dez centímetros da parede. - Evite que lençóis toquem no chão. - Feche frestas nas paredes, móveis e rodapés para que não sirvam de esconderijo para os escorpiões. - Use telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques. - O acidente ocorre, geralmente, quando a pessoa encosta a mão ou pé no escorpião. Evite a presença dos escorpiões: - Não deixe acumular lixo e entulho nos quintais, jardins, terrenos baldios e ao redor das residências. - Evite a formação de ambientes favoráveis ao aparecimento dos escorpiões como restos de obras, materiais de construção e terraplanagem, que possam deixar acúmulo de entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc. - Coloque o lixo em sacos plásticos fechados para evitar baratas e outros insetos. - Mude, periodicamente, de lugar materiais de construção que estejam armazenados e lembre-se de proteger as mãos com luvas grossas na realização do trabalho. - Retire de paredes e muros plantas ornamentais densas, arbustos e trepadeiras. - Elimine fontes de alimento para os escorpiões (baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados). - Limpe terrenos baldios das redondezas dos imóveis ocupados. - Evite a prática de queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões, entre outros animais. - Preserve os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos, como corujas, lagartos, sapos, etc. - Mantenha jardins e gramados aparados e bem cuidados.




Compartilhar: FACEBOOK