ACESSIBILIDADE | ALTO CONTRASTE | MAPA DO SITE
TAMANHO DA FONTE: A- | A+

NOTÍCIAS Voltar >


Estratégias de prevenção de acidentes na infânciaEstratégias de prevenção de acidentes na infância

Publicado em 01/04/2014, Por Assessoria de Imprensa

A Dra. Daniela Meneses, médica pediatra, CRM 33.109, palestrou sobre Prevenção de Acidentes na Infância, no dia 17 de março, no Ginásio Poliesportivo Arcenio Angelo Biazotto. Participaram as visitadoras do PIM – Programa Primeira Infância Melhor -, agentes comunitários de Saúde, pais e responsáveis por crianças de 04 meses a 03 anos. “Os acidentes na infância representam importante causa de morbimortalidade nos tempos de hoje. É necessário modificar o conceito de que acidentes estão relacionados com casualidade e imprevisibilidade, pois na maioria das vezes eles podem ser evitados e controlados. Grande parte dos acidentes ocorre no lar”, comentou Daniela. A médica ressaltou também que a Sociedade Brasileira de Pediatria lançou uma campanha nacional de prevenção de acidentes na infância com o objetivo de fornecer indicadores de prevenção, conforme o que se vê a seguir: Medidas de prevenção de cama ou berço: ter grades protetoras e observar a altura; Bebê conforto: utilizar sempre no nível do piso, com o cinto de segurança afivelado; Escadas: ter portões de segurança; Evitar móveis de ponte aguda ou cortantes: é necessário colocar protetores; Água de banho: testar a temperatura com o cotovelo ou medidores; Líquidos ou alimentos quentes: não manusear com a criança no colo; Ferro de passar e aparelhos eletrodomésticos: dificultar o acesso da criança; Frascos de álcool ou produtos químicos: manter esses produtos distantes do fogo e das crianças; Piscinas, praias, rios e lagos: sempre acompanhada de adulto e com vigilância máxima; Baldes, bacias, piscinas de plástico: esvaziar após o uso; Poços artesianos: manter fechados; Talco: não usar; Caroços de frutas, balas: sempre fora do alcance; Plantas ornamentais: verificar as tóxicas e evitá-las (ex. saia-branca, comigo-ninguém-pode, oficial de sala, pinhão paraguaio, fios descascados...). Essas plantas dever ser substituídas imediatamente; Chaves com fusíveis expostos: substituir por disjuntores; Tomada: sempre que possível ocultar ou colocar protetores; Grãos de cereais, chicletes, balas duras, botões, tachinhas, pregos, parafusos, agulhas, alfinetes, moedas: nunca ao alcance da criança; Cuidados com pequenas partes de brinquedos, arestas cortantes ou pontiagudas; Não manter em casa animais domésticos de comportamento sabidamente agressivo e manter rigorosamente a vacinação; Facas, furadores, martelos, alicates, chaves de fenda, serras, armas de fogo, punhais, canivetes: devem ser guardados em locais inacessíveis; e as crianças devem ser transportadas em automóveis com assentos apropriados, conforme peso e idade. “Toda a criança frequentemente está exposta a situações de risco, por isso devemos precocemente analisar e fazer correlação direta com as possíveis situações de risco, para cada faixa etária, criando assim um ambiente seguro para que a criança possa explorar e desenvolver suas habilidades”, disse a doutora.




Compartilhar: FACEBOOK